Por que fazemos o que fazemos?

Encontrar alegria na carreira é um sonho antigo da humanidade. O filósofo chinês Confúcio (551 a.C.- 479 a.C) já arriscava um plano: “Busque um trabalho que você ame, e nunca mais terá que trabalhar um dia em sua vida”.

Vamos começar diferenciando motivação de incentivo. Motivação é aquilo que move, que movimenta, como um motor. É, portanto, algo interno, precisa estar dentro de nós. É possível incentivar outra pessoa, dar estímulos. Mas não dá para motivá-la.

Hoje, o jovem tem esse “motor interno” pouco acelerado em relação ao trabalho. As gerações anteriores, ao contrário, viam no trabalho uma obrigatoriedade, porque não dava para viver sem trabalhar e era preciso começar cedo.

Acontece que, nas últimas décadas, o Brasil construiu condições econômicas mais sólidas e uma parcela das famílias decidiu que iria subsidiar a ausência de ganho dos seus filhos. Isso faz com que o jovem tenha uma motivação muito menor. Se eu tenho 18, 19 anos, por que investir na carreira, se posso dedicar o meu tempo ao lazer? Uma parte dos pais e mães enfraqueceu a formação dos filhos nessa direção. Sob o pretexto de poupá-los, produziu e produz um efeito que é danoso.

Você tem ideia do que faz um jovem ter disposição para acordar na segunda-feira de manhã e ir trabalhar feliz? Em primeiro lugar, o propósito. Ele só ficará motivado se enxergar que aquilo para que vai se esforçar tem uma finalidade clara para ele.

Reconhecimento também é essencial, é a coisa de que o jovem mais necessita. Ele precisa ser entendido como alguém importante, porque a questão autoral se tornou central. O profissional não quer mais ser tratado apenas como uma peça de uma grande máquina, ele quer ser autor de algo. É a mesma lógica da matéria assinada por um jornalista: aparece lá o nome dele, mesmo que seja pequenininho. No mundo do trabalho, o reconhecimento se tornou mais importante do que a própria sobrevivência.

Uma das melhores coisas da vida é fazer o que se gosta. Só um tonto vai querer fazer algo desagradável. O que não posso esquecer é que, para chegar ao resultado de que eu gosto, há várias etapas pelas quais eu passarei que serão desagradáveis. Sempre é necessário um desgaste para que você atinja um resultado.

É evidente que você precisa se dedicar à carreira, mas não pode deixar que apenas um aspecto da vida obscureça todos os demais. É preciso buscar um equilíbrio entre as diversas faces da existência. E esse equilíbrio é igual ao necessário para andar de bicicleta: você precisa estar sempre em movimento para não cair.

Equilíbrio significa ser capaz de ir aos extremos sem se perder neles. Você pode ter uma alimentação equilibrada mas, de vez em quando, mergulhar com alegria numa garrafa de vinho, num churrasco. 

Existe a ideia de que  sucesso significa trabalho contínuo, que você deve esquecer os outros aspectos da vida. Nossa cultura incentiva isso, suga as pessoas, vai exaurindo suas forças, transformando cansaço em estresse. O cansaço resulta de um esforço intenso. O estresse é quando você já não tem compreensão do que está fazendo.

No entanto, o que é imposto pela cultura não é obrigatório. É preciso andar na contramão dessa ideia e tentar buscar o equilíbrio entre as diversas faces da vida. Não é fácil, mas também não é impossível.

 

 

 Imprimir  E-mail

QUEM MANDA NA SUA CARREIRA É VOCÊ

“Construir carreira atualmente é escrever sua própria história profissional.”

Conseguir aquele emprego desejado, ser promovido ou se tornar um líder… Todos esses são objetivos que exigem preparo para alcançar. Quando você os organiza na forma de um plano, consegue visualizá-los com mais clareza e se sente mais motivado e comprometido para atingi-los.

O plano de carreira ajuda a definir de forma realista onde você quer estar profissionalmente daqui a alguns anos. Dessa forma, possibilita analisar se as suas ações presentes se conectam com o seu objetivo futuro. Traçando um plano para sua carreira, você terá mais chances de obter sucesso e evitará arrependimentos com tempo perdido na realização de atividades sem significado. Entenda melhor essa ferramenta funciona!

Basicamente, o plano de carreira deverá ser elaborado para levá-lo do seu Estado Atual (como você está hoje, profissionalmente) ao Estado Desejado (como gostaria de estar dentro de um período determinado de tempo). Assim, o plano de carreira pode conter um objetivo a médio ou longo prazo, e por isso mesmo pode ser adaptado e remodelado com o passar do tempo.

Não ter medo de sair da zona de conforto é o primeiro passo para elaborar um plano de carreira eficaz. Isso porque estar aberto a correr riscos e se lançar a novas experiências é essencial para refletir sobre o que você realmente quer fazer.

Entender o seu Estado Atual é a análise inicial para o seu plano de carreira. Avalie todos os pontos do setor profissional hoje: qual sua ocupação? Você está feliz com ela? O que você mais gosta de fazer durante a jornada de trabalho? E o que menos gosta? Deixe as ideias fluírem e anote tudo o que vier à sua cabeça. Muitas vezes, tudo parece confuso dentro da mente, e anotar ajuda a ter mais clareza.

Você já parou para pensar quem deseja ser profissionalmente daqui a dois, cinco anos? Essa reflexão é importante para alcançar a felicidade e plenitude nesse setor da vida. Quando você define seu objetivo, guia melhor sua carreira e aproveita as oportunidades. Por fim, toma as rédeas da sua vida profissional e não fica à mercê dos acontecimentos.

Você já tem seu ponto de largada e o de chegada. Agora, faltam os degraus que ligarão um ao outro. Para defini-los, você deve identificar aquilo a distância que o separa do seu Estado Desejado, e dividir essa distância em espaços menores, mapeamento o que você precisa aprender, adquirir ou mudar.

Identificar o que precisa aprender, adquirir ou mudar fica muito mais fácil ao investir em autoconhecimento. É muito importante descobrir quem você, o que faz bem e o que precisa melhorar para desenvolver as habilidades e competências que permitirão alcançar o objetivo traçado.

As metas devem ser organizadas no plano de carreira de modo que permita alcançar determinado objetivo em um período definido. Isso exige o cumprimento de cada etapa em um prazo. Ao estipulá-los, você deve considerar a dificuldade e os obstáculos que deverá enfrentar. Dessa forma, você faz do seu plano de careira um verdadeiro mapa para chegar ao tão destino profissional desejado!

Existem diversos cursos, métodos e ferramentas que podem ajudá-lo a montar um Plano de Carreira eficaz, refletindo mais profundamente sobre suas motivações e traçando metas mais assertivas.

 Imprimir  E-mail

Onde investir? Em você!

Quando falamos em investimento podemos pensar em algumas palavras como dinheiro, tempo e energia. Com o dinheiro se compra todas as espécies de insumos de investimento. Já o tempo podemos usá-lo para consumo ou para investir em nossos principais objetivos, e nos dias atuais é inegável que para a maioria das pessoas esse é um recurso dos mais escassos. A energia produz resultados significativos quando existe um foco, um objetivo.

Quais são os investimentos que você já fez e tem feito tem feito na sua carreira?
A sua carreira, os seus objetivos pessoais e profissionais são muito importantes para não serem apenas sonhos e desejos. Uma carreira sem planejamento e sem investimento pode atrapalhar o atingimento das suas metas ao longo de toda a sua vida. Investir em si próprio aumenta significativamente a possibilidade de alcançar os seus objetivos.

Sua carreira deve ter um novo planejamento conforme você vai alcançando as metas estabelecidas. Investir em si mesmo fornece poder, estratégias e ferramentas para criar seu próprio futuro e tomar a estrada mais curta até seus objetivos. Investir significa assumir um risco, e esse é o custo inicial para o sucesso e a realização profissional. É preciso saber planejar e investir na carreira, para que o crescimento e o desenvolvimento sejam constantes e se alcance os resultados estabelecidos.

Não investir tempo, dinheiro e/ou energia em si mesmo é como boiar em um rio sem saber a direção do que espera você na próxima curva. As coisas podem ir bem por determinado período de um tempo, contudo, em algum momento, pode-se perceber que se cometeu um erro, e dependendo da carreira, um equívoco em determinado ponto pode se tornar uma falha gigantesca que pode demorar anos para se reestabelecer.

Para impedir inesperados equívocos, o profissional precisa fazer um investimento proativo e reflexivo em um plano para alcançar e gerenciar metas para a sua carreira e também para a sua própria vida. Do contrário, o incontrolado dia a dia das rotinas profissionais e pessoais acaba levando o profissional a administrar o emprego e não a carreira. 

Quando não se tem o foco no seu desenvolvimento, o profissional deixa de se concentrar sobre o que necessita e o que deseja para si mesmo. Como resultado, acaba tendo uma insatisfação constante, pois estará desperdiçando um alto investimento (tempo) em vão.

Investir em si mesmo e na sua carreira é um dos maiores investimentos que se pode fazer, pois além de aumentar significativamente a sua empregabilidade, o profissional irá desfrutar do seu crescimento e desenvolvimento pessoal, e consequentemente terá o sucesso profissional tão almejado.

 Imprimir  E-mail

PESQUISA DE MERCADO É ESSENCIAL PARA SUCESSO NOS NEGÓCIOS

Em tempos de alta competitividade e crise econômica, os gestores inteligentes buscam usar todas as armas possíveis para tornar seus empreendimentos eficazes e dinâmicos. E, ao contrário do que muitos pensam, algumas estratégias simples podem ser exatamente o que o seu negócio precisa para conseguir um diferencial.

Dentro desse contexto, destaca-se a Pesquisa de Mercado, capaz de fornecer dados importantes sobre os clientes e informações relevantes sobre o momento do setor, permitindo um realinhamento nas estratégias e um tremendo ganho de qualidade para sua empresa.

Enxergar oportunidades de negócios em mercados saturados e de alta concorrência. O bom empreendedor sabe que precisa partir de uma pesquisa para diagnosticar o desejo dos consumidores.

A população cresce em ritmo acelerado. Mais gente, mais consumidor. E consumidor cada vez mais exigente, mais ávido por praticidade, comodidade e novidade para atender às necessidades do dia a dia. Quem está de olho no que o consumidor quer, pode fazer diferença no mercado.

Os benefícios de uma Pesquisa de Mercado são muitos e podem ser decisivos para o sucesso de sua estratégia. Em primeiro lugar, essa análise permite ao empreendimento conhecer melhor o seu cliente e a maneira com que ele está se relacionando com a marca: se está satisfeito ou não, se compreende os valores e a missão da empresa, se ele está disposto a voltar a consumir o seu produto ou serviço, se o atendimento foi satisfatório, se a experiência de compras pode melhorar etc.

A Pesquisa de Mercado também te ajuda a descobrir novas oportunidades no seu setor, fornecendo dados relevantes sobre aquilo que os consumidores estão buscando, bem como o quanto estão dispostos a pagar. Isso confere uma vantagem competitiva considerável para o negócio.

Os resultados da Pesquisa de Mercado podem e devem orientar os profissionais a investirem em ações específicas, bem como servir de parâmetro para modificar propostas ou até mesmo desistir de iniciativas que não estejam surtindo bons resultados.

 Imprimir  E-mail

Como analisar os dados da sua Pesquisa de Mercado

Falar sobre análise de dados de pesquisa de mercado não é das tarefas mais fáceis. Não porque analisar dados seja difícil, mas porque depende muito do tipo de pesquisa que você está fazendo.

Uma análise de dados bem feita requer também processos e, normalmente, cada um tem a sua forma de trabalhar. Há, por exemplo, quem visualize melhor os resultados em tabelas, há quem prefira os gráficos.

Mas eu vou dar algumas dicas e sugestões que podem ajudar qualquer pessoa a analisar uma pesquisa de mercado e obter as respostas que precisa:

O primeiro passo, e um dos mais importantes, é começar a se preocupar com a sua análise de dados desde a criação do questionário. A forma como você estrutura e organiza o seu questionário pode facilitar e muito a sua análise. Por exemplo, evite colocar muitas questões abertas no seu questionário, pois elas são bem mais difíceis de analisar.

Avalie sempre se não é possível transformar a questão aberta em uma questão de resposta única ou múltipla, e utilize as questões abertas apenas quando é imprescindível que o entrevistado responda com suas próprias palavras.

Antes de começar a analisar a sua pesquisa, organize os dados. Abra o arquivo, organize o layout em uma planilha da forma que você está mais acostumado a visualizar e dê uma conferida geral nos dados. Verifique se os resultados estão padronizados e inclua filtros nas colunas para que você possa selecionar os resultados que quiser. Aí sim estará tudo pronto para você começar sua análise de dados!

O primeiro passo para analisar os dados e obter insights é olhar os resultados gerais. Antes, porém, é muito importante que você relembre os objetivos da pesquisa e quais as hipóteses você tinha antes de receber os resultados.

Agora sim, observe os dados gerais e anote todos os números que te chamarem a atenção. Se você está analisando uma pesquisa de satisfação, por exemplo, procure os melhores e os piores resultados. Se for uma pesquisa de hábitos de consumo, procure os hábitos mais utilizados e os menos utilizados.

Compare com as suas hipóteses e verifique se seus palpites estavam certos. Quando algo der muito diferente do que você estava esperando, procure encontrar respostas que justifiquem aquele resultado.

Após observar os dados gerais, analise os dados de forma agrupada. Verifique o perfil que respondeu a sua pesquisa e veja se há alguma diferença por sexo, idade ou renda, por exemplo. Além disso, dependendo do tipo de pesquisa, outros cruzamentos podem ser interessantes.

Se for uma pesquisa de satisfação, por exemplo, você pode analisar separadamente aqueles que deram uma nota geral positiva e os que deram nota negativa. Uma boa dica, nesses casos, é criar tabelas dinâmicas, que vão ajudar a cruzar os dados da sua pesquisa.

 Imprimir  E-mail

Pesquisa de mercado: como fazer?

Você já percebeu como a informação é importante na hora de tomar uma decisão? Saber das propostas de um político pode te ajudar a decidir seu voto. Conhecer uma marca pode auxiliá-lo no momento de fazer uma compra. Enfim, ter acesso a dados pode influenciar de maneira significativa uma decisão, inclusive na hora de criar uma empresa. Uma pesquisa de mercado pode tornar mais fácil as decisões que terão que ser tomadas na concepção de um negócio, evitando erros – e prejuízos.

Bem, o primeiro passo é recolher o máximo de informações sobre o mercado no qual se pretende entrar. Vamos supor que você deseja criar um e-commerce. Qual a atual situação desse segmento de varejo? Para responder essa pergunta o empreendedor terá que fazer pesquisas em sites como IBGE e Sebrae, que costumam divulgar pesquisas sobre negócios, com certa regularidade. Ler reportagens da imprensa especializada em negócio também é uma boa saída.

Descubra o que a concorrência anda fazendo de diferente. Olho na concorrência! Uma importante fonte de informação é uma análise de concorrência. Esse estudo vai fortalecer muito sua pesquisa de mercado, pois quando você identifica as empresas concorrentes do seu negócio, sejam elas concorrentes diretas ou indiretas, você tem acesso aos erros e acertos desse setor.

Por exemplo: sua principal concorrente tentou vender roupas infantis, mas teve grande prejuízo. Analise porque isso aconteceu, para não passar pela mesma dificuldade. Além disso, a análise de concorrência o ajudará a definir questões como o preço que poderá praticar. Se o preço médio praticado pela concorrência for “X” vender por menos pode não cobrir os custos.

Você pode perceber na análise de mercado que não conseguirá uma fatia mercadológica que desejava, devido a força de suas concorrentes, por exemplo. Essa pode ser uma excelente oportunidade para repensar seu negócio e buscar outro mercado.

Descubra qual é o seu público-alvo. Análise de público-alvo. Peça fundamental da análise de mercado, responsável por evitar grandes decepções na vida de um empreendedor. Aplique questionários, faça grupos de discussão, teste sua ideia antes de colocá-la no mercado.

Desse modo você poderá fazer correções importantes. Poderá descobrir que o público não gostou do design adotado, que os preços não são adequados, que sua plataforma não tem navegabilidade, enfim, muitas questões podem ser solucionadas nessa fase da análise de mercado. Não tenha medo de colocar seu negócio em testes. Essa atitude pode livrar-te de grandes dores de cabeça no futuro.

Todas essas informações fortalecerão seu plano de negócio. Darão confiança a investidores, e podem ser o diferencial na hora de conseguir um empréstimo empresarial, por exemplo. Grande parte dos negócios que não dão certo falharam na análise de mercado. Normalmente não a realizando. Empreender é fazer um investimento, e investir às cegas não é um bom negócio. Por isso, use as informações para dar segurança ao seu patrimônio, garantindo que ele atinja os melhores resultados possíveis.

 

 Imprimir  E-mail