Inov9

A ideia é gerar inovação contínua

 

O processo de inovação torna-se mais complexo, uma vez que há muitos trâmites burocráticos e administrativos, como a necessidade de relatórios e aprovações de diversas áreas. Por isso a ideia de algumas empresas serem mais enxutas e ágeis, como opções para se alimentar constantemente de inovação. Está mais do que provado que as grandes inovações hoje ocorrem fora das empresas, em áreas de diversão, imersão na natureza, em viagens, realizando cursos... e com a contribuição dos colaboradores e clientes.

Entre as diferentes metodologias disponíveis para inovar e melhorar uma situação, alguns gestores têm utilizado um método que torna os colaboradores aptos a identificarem desperdícios, falhas e oportunidades de melhorias nas operações. Foi com ajuda desse método que um gerente de qualidade de uma companhia famosa de bebidas, descobriu por que as garrafas de refrigerantes chegavam aos consumidores com menos gás.

O grupo levantou hipóteses, fez simulações e resolveu o problema ao colocar uma camada extra de vedação dentro das tampinhas. Recentemente, percebo que a experiência desta empresa possa servir de referência para a resolução de problemas também em qualquer organização.

Empresas como Google, Itaú e Telefônica criaram setores para acompanhar de perto como essa ideia funciona. O objetivo destas empresas é apoiar o empreendedorismo e, claro, colher benefícios na forma de novos negócios e produtos. Quando uma empresa cresce muito, pode ficar engessada para diversificar os negócios.

O processo de criatividade e inovação torna-se complexo, uma vez que há muita burocracia, principalmente por parte do gestor e líder, que ao invés de estimular a comunicação, preparação e qualificação de sua equipe, fica alimentando planilhas e relatórios.

Hoje a inovação está mais centrada à gestão de negócio, onde há constantemente melhorias no que já existe, mas muitas vezes percebemos baixa originalidade, porém o pensamento criativo servirá como base tanto para um processo de inovação quanto originalidade. O pensamento criativo é o fundamento para construir uma empresa de sucesso, por um período.

Pensar na crise não irá trazer solução nenhuma, até porque o processo criativo está longe do trabalho duro, suas ideais surgiram quando sua mente estiver brincando, ociosa, quando estiver curioso, inquieto e incomodado. Se você for uma pessoa curiosa, ideais vão bater as suas porta, pois vai perceber lacunas, necessidades, costumes e que certamente favorecerá a geração de ideais.

 

A importância do profissional certo no lugar certo

Dentre os vários setores de uma organização encontra-se o de recrutamento e seleção. Esse setor é responsável pelo processo de atração e seleção de novos colaboradores. Ao longo dos anos contratavam-se pessoas visando somente a sua habilidade técnica. Nessa época valorizava-se um modo de trabalho mecanizado, onde as pessoas eram contratadas para desempenhar determinada função e lá permaneciam sem contribuir de outras maneiras para o crescimento da empresa.

Com as mudanças econômicas, sociais e culturais as organizações perceberam que para permanecerem competitivas no mercado e conseguirem acompanhar as transformações no cenário mundial era necessário ampliar o seu horizonte e buscar estratégias inovadoras.

A maior riqueza que uma empresa possui é o seu capital intelectual e é através do empenho e do comprometimento dos seus deles que ela consegue atingir seus objetivos, obter lucros, ganhar visibilidade no mercado e então se tornar competitiva.

Para isso se fez necessário contratar a pessoa certa para o lugar certo. Parece uma tarefa simples, mas não é. Se o colaborador é o tesouro da empresa ele não deve atuar de maneira mecanizada, ele necessita de desenvolvimento progressivo, caso contrário, fica estagnado, obsoleto.

Chegou-se à conclusão que, é de extrema importância um aprimoramento contínuo do capital intelectual da empresa para acompanhar as novas demandas do mercado. Pensando nisso as organizações passaram a exigir mais de seus colaboradores e hoje é essencial que, além de competência técnica ele apresente habilidades comportamentais que vão ao encontro da missão, dos valores e da cultura da mesma.

Para conhecer a dimensão do quanto o processo de recrutamento e seleção é importante, saiba que quando se contrata um profissional que não atende o perfil da empresa, esta sofre prejuízos não somente financeiros. Além de despesas com o novo colaborador, gera-se gastos com treinamentos para alguém incompatível com a função, baixa produtividade, possíveis problemas no atendimento ao cliente, retrabalho realizando um novo processo e perda de tempo com o deslocamento de pessoas para desempenhar as tarefas citadas anteriormente sem a obtenção de um retorno positivo.pessoas que est

Enfim, com um processo de recrutamento e seleção bem desenvolvido sua empresa só tem a ganhar. Diante disso, invista no potencial intelectual da sua empresa, contrate pessoas que estejam dispostas a somar, a agregar valor e a se desenvolver.

 

Cada detalhe faz toda diferença!

Profissionais felizes são mais engajados e tem melhor desempenho. Engajar as pessoas nem sempre é um desafio fácil, pois algumas ações podem interferir na cultura e valores pessoais de cada indivíduo, ou seja, optar pelo mais simples e, muitas vezes, diferente, é uma alternativa para as empresas.

Algumas empresas pensam que motivar colaboradores está relacionado somente a aumento de salário ou benefícios básicos. Obviamente, estas duas características são importantes, no entanto, algumas ações diferentes focadas em qualidade de vida e preocupação com a saúde são grandes atrativos para os colaborados.

Vamos dar algumas dicas de ações que podem fazer muita diferença para o colaborador e no resultado da empresa:

Horário Flexível – Flexibilização do horário de trabalho dos colaboradores, acomodando necessidades pessoais como horário de fretado, evitar picos de trânsito, etc.

Festas e Comemorações de Resultados – Comemorar o resultado alcançado pela empresa como forma de reconhecer o esforço e colaboração de cada colaborador para com metas e objetivos do negócio é parte de nossa cultura. São mensagens, happy hours etc. que motivam ainda mais a equipe a buscar superação e novas conquistas.

Educação Financeira – Palestras realizadas por profissionais da área financeira com o objetivo de fornecer informações e orientação para que os funcionários possam programar suas finanças, podendo assim ter uma vida mais equilibrada e segura.

Day Off para Aniversariantes – Proporcionar aos aniversariantes um dia livre para que ele possa comemorar o seu aniversário da forma que lhe traga mais felicidade e realização.

Como analisar os dados da sua Pesquisa de Mercado

Falar sobre análise de dados de pesquisa de mercado não é das tarefas mais fáceis. Não porque analisar dados seja difícil, mas porque depende muito do tipo de pesquisa que você está fazendo.

Uma análise de dados bem feita requer também processos e, normalmente, cada um tem a sua forma de trabalhar. Há, por exemplo, quem visualize melhor os resultados em tabelas, há quem prefira os gráficos.

Mas eu vou dar algumas dicas e sugestões que podem ajudar qualquer pessoa a analisar uma pesquisa de mercado e obter as respostas que precisa:

O primeiro passo, e um dos mais importantes, é começar a se preocupar com a sua análise de dados desde a criação do questionário. A forma como você estrutura e organiza o seu questionário pode facilitar e muito a sua análise. Por exemplo, evite colocar muitas questões abertas no seu questionário, pois elas são bem mais difíceis de analisar.

Avalie sempre se não é possível transformar a questão aberta em uma questão de resposta única ou múltipla, e utilize as questões abertas apenas quando é imprescindível que o entrevistado responda com suas próprias palavras.

Antes de começar a analisar a sua pesquisa, organize os dados. Abra o arquivo, organize o layout em uma planilha da forma que você está mais acostumado a visualizar e dê uma conferida geral nos dados. Verifique se os resultados estão padronizados e inclua filtros nas colunas para que você possa selecionar os resultados que quiser. Aí sim estará tudo pronto para você começar sua análise de dados!

O primeiro passo para analisar os dados e obter insights é olhar os resultados gerais. Antes, porém, é muito importante que você relembre os objetivos da pesquisa e quais as hipóteses você tinha antes de receber os resultados.

Agora sim, observe os dados gerais e anote todos os números que te chamarem a atenção. Se você está analisando uma pesquisa de satisfação, por exemplo, procure os melhores e os piores resultados. Se for uma pesquisa de hábitos de consumo, procure os hábitos mais utilizados e os menos utilizados.

Compare com as suas hipóteses e verifique se seus palpites estavam certos. Quando algo der muito diferente do que você estava esperando, procure encontrar respostas que justifiquem aquele resultado.

Após observar os dados gerais, analise os dados de forma agrupada. Verifique o perfil que respondeu a sua pesquisa e veja se há alguma diferença por sexo, idade ou renda, por exemplo. Além disso, dependendo do tipo de pesquisa, outros cruzamentos podem ser interessantes.

Se for uma pesquisa de satisfação, por exemplo, você pode analisar separadamente aqueles que deram uma nota geral positiva e os que deram nota negativa. Uma boa dica, nesses casos, é criar tabelas dinâmicas, que vão ajudar a cruzar os dados da sua pesquisa.

Como escrever um currículo simples e eficiente

O Currículo deve ser entendido como se fosse um resumo da sua trajetória profissional, indicando o quanto você se esforçou para chegar até o ponto em que está hoje, qual caminho você trilhou e aonde você quer chegar.

Para se produzir um bom currículo, três ideias básicas devem ser levadas em conta: verdade, simplicidade e eficiência. Essas ideias são simples, mas certamente darão maior credibilidade e confiabilidade ao seu currículo, permitindo ao recrutador encontrar o funcionário ideal e não ter surpresas no momento da entrevista.

Para escrever um currículo simples e completo, uma sugestão interessante é dividi-lo em algumas sessões fundamentais:

  • Cabeçalho: Nessa seção do currículo coloque somente as informações fundamentais: nome completo, endereço atual, telefones para contato e o seu e-mail atual.
  • Objetivos: Escreva aqui seus objetivos na empresa (ex.: atuação na área de TI).
  • Qualificações e Características: Escreva aqui um pouco sobre você, seus talentos e principais características pessoais e profissionais.
  • Formação Acadêmica: Escreva aqui sobre faculdades, cursos de aperfeiçoamento e pós-graduação cursados por você.
  • Conhecimentos Técnicos e Especialidades: Escreva aqui as tecnologias, técnicas ou áreas do conhecimento que você domina e com as quais já trabalhou.
  • Experiência Profissional: Escreva aqui sobre as suas últimas experiências profissionais, não esquecendo de citar: empresa, cargo e período.
  • Línguas: Fale aqui sobre os idiomas que você domina, lembrando de mencionar o seu nível de proficiência para cada um dos idiomas. Ex.: básico, intermediário e fluente.
  • Outras Informações: Escreva aqui outras informações interessantes a seu respeito, tais como intercâmbios culturais que você possa ter feito.

Após realizar seu currículo, você deverá responder essas questões abaixo, como forma de validar suas informações:

  • Estão claras as áreas de interesse principais do candidato?
  • O currículo apresenta erros de português, gramática ou concordância?
  • O currículo dá alguma dica clara sobre a personalidade do entrevistado?
  • Qual o intervalo entre os empregos do candidato?
  • Qual a permanência média do candidato em cada emprego?
  • Segundo o currículo, a carreira do candidato está em ascensão, estagnada ou decadente?
  • O candidato tem se esforçado para obter uma melhor qualificação? Ele se mantém atualizado?
  • De acordo com o currículo, a carreira do candidato tem sido coerente, ou tem havido constantes mudanças e guinadas?

Cadastre seu currículo em nosso site: www.inov9.com.br 

Baixe "O que não ter no seu currículo": http://conteudo.inov9.com.br/curriculo 

 

Consultoria de Custos e Finanças

O que é uma Consultoria de Custos e Finanças Empresarial?

A empresa de consultoria, ou o consultor, basicamente tem como objetivo resolver um determinado problema. 

Em geral, o consultor é uma pessoa externa ao negócio que faz um diagnóstico da situação, analisa como resolver e auxilia na implementação. Isto vale para qualquer tipo de consultoria, seja financeira, ou em pessoas ou em processos, etc.

 Assim, a consultoria é um atalho para resolver um problema de forma mais rápida e prática.

 

E numa consultoria financeira, em especial, o que é feito?

Sem dúvida alguma a área financeira é o Calcanhar de Aquiles da maioria dos negócios. Não à toa que a Inov9 se especializou em gestão de custos e finanças para pequenas empresas.

Nosso o serviço de consultoria de custos e finanças empresarial da Inov9 deve ter como objetivo melhorar a estrutura e gestão financeira do seu negócio, de forma que todo e qualquer transação esteja devidamente contabilizada e que o empresário saiba analisar as informações para tomar melhores decisões. Tomar melhores decisões é o mesmo que dizer: mais lucro no bolso.

 

Os tipos mais comuns de serviços que nossa consultoria irá prestar são:

Estruturação e melhoria dos controles financeiros

Análise de Fluxo de Caixa e demais informações financeiras

Formação de preço dos produtos e serviços

Planejamento Financeiro

Análise e planejamento para pagamento de dívidas

Entre outros serviços mais específicos que podem variar de empresa para empresa.

 

Quais os resultados você deve esperar da nossa Consultoria de Custos e Finanças?

Sempre ressaltamos que a Gestão Financeira Empresarial é “meramente” um meio para aumentar os lucros do negócio. Quando sua empresa tem uma boa gestão algumas coisas passam a acontecer, mais ou menos nessa ordem:

1 – Você, como empresário, passa a contabilizar da forma correta todo centavo que entra e todo centavo que sai da sua empresa.

2 – Com o tempo, o processo financeiro fica tão redondo e automático que você empresário pode facilmente colocar uma pessoa para cuidar, pelo menos, dos controles enquanto o empreendedor dedica este tempo a outras atividades. Isto significa que o dono do negócio pode se dedicar a atividades que tragam um retorno financeiro direto para o a empresa.

3 – Ao ter o controle de cada centavo, o empresário adquire o poder de analisar corretamente as informações. Consegue saber informações básicas, tais como se está tendo lucro ou não, mas também análises mais detalhadas, tais como, as despesas que estão impactando mais o fluxo de caixa ou então analisar o impacto de uma redução de custos em sua lucratividade.

4 – Ao saber analisar os números e adquirir este hábito, o empresário passa a tomar melhores decisões. Melhores decisões, no fim das contas, significarão mais lucro para o negócio.

5 – Por outro lado, ao ter clareza dos números, o empreendedor não se sentirá no escuro, como antes. Não terá mais aquela sensação de “estar pisando em ovos”, ou de simplesmente não saber o porquê de as coisas não estarem tão bem. A partir daqui o empreendedor terá clareza de o que e porque está acontecendo no negócio.

6 – Quando você sai desta escuridão, a sua saúde mental, o seu foco e a sua produtividade aumentam.

7 – Logo, no final das contas uma boa consultoria financeira empresarial tem como objetivo de (1) Aumentar os lucros do negócio e fazer com que ele tenha mais chances de ser muito bem sucedido; e (2) Preservar a saúde física e emocional dos donos da empresa.

 

ETAPAS

De forma muito genérica, toda consultoria tem três grandes etapas:

1.      Diagnóstico e planejamento: o consultor avalia os problemas e mostra o que deve ser feito;

2.      Execução: o consultor cumpre as ações pré-estabelecidas – é a execução da consultoria em si;

3.      Acompanhamento:  depois de implementado o projeto geralmente fica-se mais um tempo acompanhando para fazer ajustes e melhorias

 

ATIVIDADES DO CLIENTE E DO CONSULTOR

Em toda consultoria haverá algumas atividades que dependem do consultor e outras que dependem do cliente. Provavelmente não existe consultoria em que o consultor resolva tudo sem a participação do empresário (ou do responsável pela área).

Na Consultoria de Custos e Finanças da Inov9, por exemplo, o consultor é responsável por ensinar o cliente os princípios e práticas financeiras, por criar e adaptar as ferramentas necessárias, por conferir e auditar que tudo esteja certinho.

O ponto chave aqui é: a consultoria não é uma caixinha mágica que deixa tudo pronto sozinho. Você vai precisar botar a mão na massa!

 

 

CONSULTORIA PARA PEQUENOS NEGÓCIOS

Com o aumento da concorrência e a necessidade de melhorar os processos e minimizar os prejuízos, contar com a ajuda de especialistas sempre é um grande auxílio para uma gestão mais eficiente.

Quando falamos de empreendimentos de menor porte, os resultados podem ser ainda mais expressivos, pois não é raro que ela conte com menos colaboradores se dobrando em mais de um serviço ou setor. E então, quer descobrir se uma consultoria para pequenas empresas realmente vale a pena? 

Para melhorar seu potencial competitivo, muitas pequenas empresas estão investindo na consultoria empresarial. No entanto, ela não deve ser encarada como a solução para todos os problemas do negócio, mas sim como uma ferramenta a mais para que você alcance a excelência e o melhor nível de atuação.

Podemos encará-la como um elo entre o empreendimento e seu setor, através do qual os gestores e administradores vão poder perceber as oportunidades que surgirem no mercado e também deverão conseguir auxílio na busca do crescimento através de novas práticas e metodologias que não seriam percebidas sem esse tipo de suporte.

Como podemos perceber, a consultoria para pequenas empresas não pode ser escolhida aleatoriamente. Ela precisa ser composta por profissionais experientes e capacitados que devem oferecer apoio, visão crítica empresarial, conhecimento holístico do mercado, capacidade de apresentar soluções para os problemas existentes e futuros, além de primar pela melhoria constante dos processos.

A consultoria também desenvolve para o cliente uma versatilidade maior nos serviços e produtos ofertados, explorando vias e caminhos ainda não descobertos. Também busca criar parcerias novas com fornecedores, compradores e até mesmo com concorrentes — o que pode ser altamente desejável no mercado atual, onde quanto maior for a sua rede de contatos, maiores serão suas chances de sucesso.

A consultoria empresarial nada mais é do que um auxílio essencial para que seu empreendimento alcance o espaço desejado em sua área, obtendo o máximo possível de desempenho, resultados e lucratividade.

Ela visa colocar sua empresa em um local de destaque diante dos clientes, bem como aumentar suas chances de atrair novos consumidores com ideias inovadoras e originais.

 

 

Consultoria, como começar?

A consultoria empresarial surgiu como uma forma de pessoas que já passaram por determinada experiência aconselharem gestores ou empresários que estavam enfrentando esses mesmos problemas, dificuldades ou momento similar.

A Consultoria Empresarial é uma atividade que tem como objetivo básico responder ou atender às necessidades das empresas ou pessoas físicas quando assim solicitada por meio de aconselhamento ou sugestões de melhorias, embasado em firme e estruturado conhecimento. O consultor trabalha com o conhecimento, com a capacidade de análise a proposição e implantação de soluções para um conjunto de problemas apresentados pelos seus clientes.

Se você vai começar uma consultoria empresarial completa, precisa entender o negócio do seu cliente como um todo. Não tem muita mágica para isso, é necessário entrar de cabeça na organização e avaliar cada área dela.

Penso no diagnóstico empresarial sempre como a primeira etapa de qualquer consultoria. Não adianta você pensar que pode propor mudanças sem entender completamente com o que está lidando. Digo isso, principalmente pelo fato de cada negócio ter as suas características e, na maioria das vezes, se encontrarem em momentos distintos, com necessidades distintas.

O diagnóstico é um instrumento indispensável de gestão, uma técnica gerencial de primeira ordem, mesmo que a empresa apresente resultados satisfatórios. Neste caso, as decisões poderão ser mais importantes, porque poderão melhorar os resultados de uma empresa lucrativa. Em resumo, quando tudo vai mal, não fazer nada é a pior solução.

O diagnóstico é o instrumento que apresenta uma visão global e dinâmica da empresa e que define um roteiro geral ao processo de decisão. É um procedimento que possibilita ao empresário obter uma visão clara, simples e precisa do conjunto do seu negócio. Não se adota aqui soluções já prontas, empacotadas ou milagrosas. Para apontar diretrizes, o diagnóstico prevê uma abordagem direta, profunda e eficaz, adequada ao objetivo a ser alcançado. Objetivo este que é levantar os pontos fortes e fracos da empresa em todos os seus aspectos.

 Se você já está avaliando a possibilidade de contratar uma consultoria empresarial ou mesmo gostaria de conhecer os benefícios dessa possível contratação, nós da Inov9, temos várias soluções criativas, inovadoras e sob medida para sua necessidade, visamos sempre o crescimento e desenvolvimento das pessoas e das empresas.

Consultoria, pra que?

A contratação de uma empresa de consultoria para dar velocidade e agilidade aos negócios é algo já bastante difundido nas grandes empresas. E as pequenas e médias empresas já estão incorporando cada vez esta prática em suas culturas, pois notaram que estes profissionais podem ajudar a criar várias mudanças necessárias dentro da organização.

Os benefícios são os mais variados. Organizar, planejar e executar de forma mais rápida a estrutura da empresa, recebendo por parte do consultor um diagnóstico de onde está se precisando melhorar e assim fazer um trabalho de adaptações.

E isto tudo, claro, resulta em crescimento direto dos resultados financeiros da empresa.

Confira algumas vantagens de se contratar uma consultoria de gestão para sua empresa:

1 – Renovação – uma consultoria de gestão traz conhecimento novo e experiências adquiridas em outros clientes. Isso proporciona uma visão externa, focada em resolver o problema que você está enfrentando com base na experiência de outros projetos;

2 – Disponibilidade – o consultor atua com dedicação exclusiva dentro do prazo estipulado do contrato, enquanto o pessoal interno geralmente está cheio de outras tarefas e assim não consegue ter um foco direto nos problemas específicos;

3 – Neutralidade – os consultores estão preocupados em gerar resultados, sem rixas ou concorrência por cargos na empresa;

4 – Tempo – o consultor precisa trabalhar dentro dos prazos definidos para o projeto acordado entre ele e seu cliente. Isso faz com que tudo fique mais rápido para ser esclarecido e resolvido;

5 – Foco – por ser uma pessoa de fora e que não tem os “vícios” da empresa, torna-se mais fácil e rápido o diagnóstico direto dos problemas por parte do consultor;

6 – Escopo – consultores trabalham com projetos e objetivos, o que torna o entendimento claro do escopo, facilitando o controle e garantindo o sucesso;

7 – Iniciativa sem medo – os colaboradores internos podem levar em consideração algumas emoções pois possuem relacionamentos mais longos com as demais pessoas da empresa, e isso pode atrapalhar a tomada de decisões difíceis. Já a atuação de uma consultoria de gestão é mais racional, o que facilita nessas ocasiões;

8 – Economia – o vínculo temporário com os consultores é muito mais barato do que a contratação de um especialista, o qual pode vir a se tornar desnecessário após certo período;

9 – Motivação extra – a consultoria proporciona um impulso extra, muito mais focado, para que as mudanças realmente aconteçam;

10 – Melhoria nas relações empresa/colaborador – além do gestor de cada setor, o consultor de também se mostra um porta-voz da organização junto aos colaboradores e isso já deixa claro para as pessoas que a empresa está preocupada com a melhoria contínua, que lógico, vai impactar nos resultados financeiros como já vimos anteriormente.

DIAGNÓSTICO EMPRESARIAL

 Vamos falar um pouco de diagnóstico empresarial! 

Diagnóstico empresarial é uma análise imparcial e prática da sua empresa, do seu negócio; é uma forma de obter informações detalhadas sobre a gestão de negócios, para determinar suas prioridades e definir quais áreas precisam de atenção.

É uma ferramenta recomendada para todas as empresas, independente do segmento ou porte, em mercados altamente competitivos ou aqueles que experimentam uma pressão significativa por causa de um ambiente de negócios incerto, o aumento dos custos, mercados decrescentes, ou desafios internos. É um fato comum que a maioria das empresas está operando abaixo de sua eficiência máxima.

Com o resultado você tem  uma visão abrangente da sua forma de gestão, podendo identificar as oportunidades de melhoria, definir a posição de mercado e estabelecer metas proporcionando crescimento da empresa.

Esta é uma ferramenta que está disponibilizada em nosso site (www.inov9.com.br/#diagnostico), você consegue identificar quais as áreas possui maior maturidade e aquelas em que precisa fortalecer, receberá também ações que podem apoiar no seu direcionamento. Caso necessite de apoio e/ou algo mais direcionado, é melhor entrar em contato e solicitar um consultor especializado (www.inov9.com.br/#contato).

INVESTIR EM VOCÊ!

 “O melhor negócio é você mesmo”. Meu, quantas vezes você já não ouviu essa frase? E acredite, ela é muito real. Talentos, carreira e até mesmo seu progresso nas atividades dependem exclusivamente de uma única pessoa: Você mesmo.

Então, brother, aproveite enquanto ainda é jovem e invista e não deixe que a palavra frustração te assombre no futuro.Claro que isso vai exigir que você abra mão de alguns comportamentos, tipo a balada de toda sexta-feira, mas pense positivo: em longo prazo todas as renúncias que você fizer agora vão te trazer bons retornos.

É aquela velha história, quem se dedica a si mesmo está sempre se renovando e, portanto tem repertório pro que der e vier. Imagino que assim que comecei a falar em investimento você logo pensou em algo relacionado a finanças não? Compra de ações, abertura de uma poupança, compra de imóveis. Cara, são investimentos interessantes, mas isso se você é ligado nessa área de negócios.

Minha ideia é te ajudar em um investimento dedicado a você mesmo, não necessariamente financeiro.

Beleza Roberto, mas e aí, como posso fazer pra investir em mim? Por onde dá pra começar? Fique atento nos seguintes post que irão te trazer dicas simples para investir em você.

Liderança na Atualidade

A cada dia vemos a necessidade de líderes que não só executem processos, mas que formem pessoas e que as vejam não somente como quem proporciona resultados, mas como quem tem talento e um grande potencial. O líder atual abandonou o status de centralizador do conhecimento para, através de sua influência, compartilhá-lo, proporcionando liberdade de pensamento e autonomia das decisões, tanto para a organização como para seus colaboradores.

Ao longo dos anos, as características que formam o líder atual vêm mudando, e uma das capacidades requisitadas é o autoconhecimento e a outra é a de alguém capaz de apresentar habilidades indispensáveis para gerir resultados e ao mesmo tempo, organizar, treinar, motivar e promover os valores e o desenvolvimento de cada colaborador da sua equipe.

A Liderança atual define direções através de uma visão de futuro, engajando os liderados e inspirando-os a superar obstáculos. Os Líderes eficazes não desempenham uma habilidade ou um conjunto de habilidades independente das outras. Eles utilizam simultaneamente várias habilidades.

Hoje em dia, as qualidades de Liderança são reconhecidas universalmente como um elemento-chave em administração. Um bom gestor deve ser por definição, um Líder. Basicamente, o Líder deveria além de servir de exemplo, possuir e, talvez, até mesmo personificar as qualidades esperadas ou requeridas em sua equipe de trabalho.

Sabem por que a maioria dos líderes fracassam? Fracassam aqueles que exercem a Liderança incorretamente e só buscam resultados, sem valorizar a equipe. Para triunfar, é necessária uma capacitação correta, que nos ensine a tomar decisões corretas e significativas para a produtividade e para a equipe. Milhões de Líderes fracassam, não por falta de estudos universitários ou preparação avançada, mestrados ou doutorados... fracassam por haver tomado decisões incorretas.

Os maus Líderes produzem equipes incompetentes, por serem autoritários ou corruptos, atraem e duplicam colaboradores desmotivados, desorganizados, irresponsáveis, cansados ou sonolentos e com péssimos resultados. Por falta de visão ou de supervisão; por haver feito uma péssima seleção e capacitação dos integrantes da equipe; e por falta de motivação ou clareza nas normas e objetivos.

Devido às constantes mudanças globais, as empresas foram forçadas a se reestruturar e a perseguir o que se convencionou chamar de "excelência gerencial". Neste contexto, as habilidades, o conhecimento, as destrezas e eficácia passaram a ser desejadas e mais requeridas na figura que as organizações denominam Líder do século XXI.

De maneira geral, a Liderança é uma atividade que está diretamente ligada às pessoas. E, que para o trabalho seja desenvolvido de acordo com os objetivos propostos pelo Líder, é fundamental que haja uma relação muito grande de confiança entre os envolvidos. Porém, para adquirir essa confiança, o Líder deve se entregar ao desenvolvimento pessoal, de forma que busque continuadamente a atualização e qualificação, pois quando for exigida alguma de suas habilidades, ele deve estar preparado para demonstrar a sua competência.

Há um bom Líder dentro de você, esperando ansioso pela oportunidade de ser desafiado a aprender, a crescer, mudar e servir. 

 

Matriz SWOT SEM MISTÉRIO

Muitos empreendedores e gestores quebram a cabeça em busca de um Planejamento Estratégico adequado que os ajude a definir ações, objetivos, metas e iniciativas para direcionar a operação de seus negócios.

E nessa busca por uma direção a dar para sua empresa, invariavelmente uma das ferramentas que surge em seu auxílio é a matriz SWOT. Nesse momento, logo vem à mente desses empreendedores e gestores palavras como forças, fraquezas, ameaças, oportunidades, ambiente interno e ambiente externo.

Mas na hora de por tais conceitos em prática, muitas vezes percebem que não sabem realmente como fazer uma matriz SWOT. Na verdade, não existem grandes segredos em como fazer uma análise SWOT. Inclusive, ela foi criada em forma de matriz exatamente para facilitar sua elaboração e análise, de uma forma intuitiva e que segue certas regras de fácil aplicação.

A análise do ambiente interno é que determina suas forças e fraquezas. E a análise do ambiente externo é que possibilita a definição das oportunidades e ameaças.

Ambiente interno: usualmente o ambiente interno é definido como aquele sobre o qual a empresa tem controle. Isto é, tem como agir sobre ele. É neste domínio que você encontrará as forças e fraquezas de sua empresa. É dentro do ambiente interno que você encontrará suas forças e fraquezas. Forças: elementos e características de seu ambiente interno que representam uma vantagem sobre a concorrência. Fraquezas: de forma análoga, as características e elementos de seu ambiente interno que desfavorecem sua empresa em relação à concorrência são suas fraquezas.

Ambiente externo: fatores sobre os quais a empresa não tem controle, como o clima, taxa de juros, mudanças de legislação, câmbio, desastres naturais, políticas ambientais, guerras, embargos econômicos, crises econômicas, eleições etc. Oportunidades: sempre que um fator externo cria um cenário favorável para a empresa, ele representa uma oportunidade. Ameaças: todos os elementos ou conjunturas que criam um ambiente desfavorável para a empresa (e sobre os quais a empresa não tem controle) são ameaças para o negócio.

Matriz SWOT: como fazer essa análise passo a passo:

 1.      Defina suas forças.

 2.      Determine suas fraquezas.

 3.      Liste as oportunidades.

 4.      Enumere as ameaças.

 5.      Coloque os dados nos locais da planilha conforme a figura.

Faça as correlações entre os fatores da matriz e determine:

 1.      Forças podem potencializar quais oportunidades.

 2.      Forças podem combater quais ameaças.

 3.      Fraquezas podem prejudicar quais oportunidades.

 4.      Fraquezas podem potencializar quais ameaças.

O importante é ter entendido os conceitos e principalmente como correlacionar adequadamente as forças e as fraquezas com as oportunidades e as ameaças. Que achou da matriz SWOT? Já sabe como fazer a sua?  

O Grande Líder

Lider é servir

Quem trabalha com o objetivo de ficar rico geralmente não encontra razões suficientes para permanecer em sua busca em meio às dificuldades. Muito antes de chegar lá, alguns ficam desgastados com a turbulenta jornada e outros perdem sua essência e negociam até seus valores.

Quando o empreendedor tem produto e gestão excelentes, possui capacidade de construir um senso de missão e causa em seu negócio, aliado a um modelo que envolve todos os seus colaboradores e os recompense generosamente pelos resultados atingidos, e se diverte enquanto trabalha muitas horas por dia, seus resultados, como mera consequência, vão leva-lo a ficar muito rico.

E quando temos envolvido o termo liderança, esses fatores precisam se mostrar ainda mais presentes, isso porque liderar é a arte de unir pessoas diferentes em torno do mesmo propósito, trabalhando os talentos e sonhos de cada um.

Quem lidera pensando em apenas nos próprios interesses, consegue no máximo chefiar. O líder consegue que cada um lute para alcançar os próprios objetivos e o resultado final será, por consequência, o sucesso do projeto e do líder. Os grandes líderes puxam a responsabilidade para si, os fracassados acreditam que dependem de terceiros e sempre dizem, “é fácil falar, mas na prática...”

Nossa conta bancária não é capaz de nos fazer felizes, nem nossos bens, diplomas ou títulos. Quando cumprimos nossa missão e estamos dispostos a dar a vida por um ideal, frequentemente alcançamos os resultados necessários para sermos reconhecidos no seleto grupo de líderes e pessoas que inspiram.

Líder é aquele que sabe o seu valor e não se desencoraja quando a sociedade o vê com desprezo e como parte de uma grande massa desqualificada sem sobrenome. Por outro lado, o líder não se ilude quando alcança o sucesso e essa mesma sociedade passa a lhes dar tapinhas nas costas e a puxar seu saco, dizendo: “Você é o cara. ” Os líderes sabem exatamente quem são e o que sempre foram. Sabem quem querem ser, sendo dentro de um transporte coletivo lotado ou em um jato executivo. O reconhecimento da sociedade não altera a sua identidade.

Tem gente vencendo nas piores cidades dos piores países do mundo, da mesma forma que, também tem gente fracassando nas melhores cidades dos melhores países do mundo. O que importa é que somente assumindo seu lugar de protagonista é possível criar as próprias chances. Para quem quer fazer a diferença, isso já é muito mais do que suficiente...

 

 

 

Oferecemos nosso melhor!

Qualquer pessoa na face da terra se desenvolve através de experiências, vivências e situações das quais revelam-se os resultados que se frutificam em aprendizados. Se sabemos ou não qual é a nossa missão de vida, podemos considerar que nem sempre nos apercebemos dela porque ela se divide e se espalha em múltiplas tarefas no nosso dia a dia.

Quando somos capazes de oferecer ao outro o melhor de nós, o prêmio é nosso! E antes que você comece a questionar porque deveria considerar ser um servidor, lembre-se de todas as pessoas que te tratam bem e você despreza, quantos “bom dia” você não respondeu…

Servir vai além de ser útil. Serviço é gentileza e colaboração. Ser prestativo, paciente e cortês são condutas que nos fazem sentir vivos e nos permite propagar aquilo que nos sobra no íntimo, mas vivemos suplicando aos nossos semelhantes: amor. É fazendo que aprendemos e entendemos nossos valores, alguém precisa dar início ao movimento e para recebermos o que tanto pedimos, precisamos nós mesmos “fabricar” esse pedido, e como se faz isso? Servindo!

Servimos de formas inimagináveis uns aos outros. Seja com gestos, um texto, um conselho, um ouvido atento, uma piada que se conta, um sanduíche que se compartilha, um olhar com presença, ouvir com atenção os idosos, ajudar pessoas em alguma tarefa, abrir a porta para uma dama, se interessar pelos acontecimentos no dia de uma criança, pedir licença a quem limpa o chão que pisamos, sorrir mais, fingir que não sabe alguma coisa, dando oportunidade para que outro tenha espaço para expressar ideias sobre aquele assunto que você pensa que só você domina, deixar de impor verdades, para que as pessoas possam raciocinar como quiserem e por si próprias, elogiar sinceramente, reconhecer as virtudes do próximo, validar a arte dos artistas, admitir opiniões em nossas empreitadas (você não precisa aceitar um conselho, mas ao menos escutá-lo atento, é sinal de educação e respeito), entre infinitas outras…

Desperdiçamos muito tempo tentando encontrar uma grande missão dentro de nós e achamos que tudo o que fazemos é muito pequeno. Se começarmos a entender que temos poderes muito grandes em atitudes que julgamos muito pequenas, veremos que nossos problemas nascem com suas próprias soluções. Não é tão difícil assim doarmos aos outros o que queremos receber. Os ciclos se repetem e os aprendizados ambicionam expandir, não precisamos depender do poder alheio, nós temos todo o poder, se quisermos! Quando cultivamos bons pensamentos, não há como gerar atitudes más.

Sucessão Familiar, já sabe quem irá assumir sua empresa?

Toda empresa madura chega em um momento no qual precisa refletir sobre o seu futuro a longo prazo. Como será a “passagem de bastão”? Qual herdeiro será o líder, o mais velho ou o mais capacitado? Os herdeiros terão partes iguais ou receberão de acordo com os seus méritos?

Muitas organizações familiares têm negligenciado esse planejamento e isso traz grandes chances de ocasionar uma série de danos patrimoniais, emocionais e empresariais. Essa falta de atenção à sucessão explica porque apenas 25% das empresas familiares (segundo o SEBRAE) conseguem chegar à segunda geração.

Para otimizar este processo com a maior agilidade e economia possível, é vital realizar um planejamento de sucessão patrimonial profissional que minimiza a pulverização do patrimônio e a desunião da família.

A sucessão possibilita como um dos benefícios a transferência do patrimônio sem custo tributário, mantendo o poder decisório e a livre administração dos bens por parte do sucedido. Também é essencial para projetar, ampliar e qualificar atividades da empresa. Também serve para obter um bom desempenho das empresas e para poder elaborar projetos de médio e longo prazos. Sem disputas de poder, capazes de trazer um forte declínio para o negócio.

A preparação do sucessor deve ser um processo que garanta a plena capacidade de gerenciamento da empresa. Para tanto, deve haver um conhecimento amplo por parte daquele que assumirá a organização, tendo ele passado por todos os departamentos e vivenciado as rotinas corporativas em profundidade.

Nessa primeira fase de planejamento do sucessor é importante ainda destacar a experiência de um trabalho dele fora da empresa familiar por um período de três a cinco anos, o ajudará a encontrar sua identidade, ou seja, o seu valor sem a proteção do sobrenome. O trabalho fora é útil até para que os erros de aprendizado sejam feitos longe da empresa e não prejudique a imagem do profissional.

O sucessor deverá ser qualificado tecnicamente para assumir a empresa, deverá ter também forte vínculo com os valores do fundador, pois tais valores determinam a cultura da empresa e, necessariamente, estabelecem a forma pela qual a organização se relaciona com o mercado. Este é o fator preponderante para a perpetuação do negócio de família.

A sucessão empresarial familiar tange assuntos muito pessoais. Por isso ela deve ser estruturada por terceiros que são isentos. Geralmente, família e envolvidos não conseguem distinguir a razão da emoção. Normalmente cada um busca seus interesses e acaba perdendo a visão macro do empreendimento. A empresa contratada para planejar a sucessão vai priorizar o negócio, regulando direitos e deveres entre os sucessores.

TENHA UMA EQUIPE DE ALTO DESEMPENHO

O início do ano chegou e sua equipe já começa a dar sinais de cansaço. O verdadeiro valor de qualquer empreendimento está em seus colaboradores. Você pode fazer de tudo para selecioná-los bem, para montar um excelente time, mas algo será inevitável: com o passar do tempo, se você não fizer nada, as pessoas tendem a se acomodar e os resultados tendem a cair. 

Para fazer de sua empresa um negócio sustentável, é preciso haver a conjunção de trabalho e pessoas, times coesos resolvendo problemas. Entretanto, se o negócio é formado por pessoas, que tipo de pessoas devo contratar para trabalhar na minha empresa? Ou, formulando melhor: que COMPETÊNCIAS devem ter as pessoas que trabalham comigo? 

Para formar uma boa equipe, o que é fundamental para garantir a construção de um grande negócio, é achar pessoas certas para os lugares certos. A formação de uma equipe de sucesso começa pela compreensão da necessidade de atrair pessoas com comportamentos mais dinâmicos, flexíveis e de fácil adaptação.

Cabe ao gestor refletir sobre os "lugares certos" que serão ocupados pelas "pessoas certas". Nesta situação, estes lugares dizem respeito às funções críticas para o sucesso do negócio, cresce cada vez mais a necessidade de ter as pessoas certas para administrar o crescimento da empresa.

É importante reunir pessoas que acreditam e vivenciam as mesmas crenças e atitudes que a empresa, consequentemente, teremos pessoas mais felizes e satisfeitas. Equipes de destaque requerem não apenas um forte conjunto de habilidades, mas também uma diversidade significativa, a fim de evitar os riscos da identificação com o coletivo e do pensamento do grupo.

A falta de uma política voltada para a Gestão de Pessoas, no sentido prático, é um dos principais fatores que contribuem para as seleções equivocadas e o não aproveitamento dos talentos existentes dentro da própria organização. Dessa forma, uma política de Gestão de Pessoas deve levar em consideração: estrutura organizacional e responsabilidades bem definidas, processo de seleção e admissão criterioso, treinamento e desenvolvimento constante, plano de desenvolvimento e critérios de avaliação.

Nenhum profissional conseguirá suprir a deficiência gerada pela falta de processos, de políticas, de normas e procedimentos instituídos para todas as áreas e para todos os níveis hierárquicos da empresa. 

 

Triangulo de Ouro

O maior desafio para a maioria dos gestores e diretores de empresas giram em torno de dois pontos: dinheiro e pessoas. Continuamos em período de recessão para vários setores, assim como ascensão em outros, novas tecnologias, formas de estruturar seu negócio e as rápidas transformações, também demandam de habilidades e competências até então imprevistas.

Para lidar com esses desafios e mudanças algumas empresas, ou seja, àquelas que possuem uma percepção mais apurada e estão sempre em busca de melhorias, tem procurado dois profissionais o líder do financeiro e o da gestão de pessoas, que juntamente com o gestor formam o “Triangulo de Ouro”, para gerar resultados importantes.

É fundamental que o trabalho dessas três pessoas atue juntas de forma congruente e coerente, não adianta falar de pessoas e não dedicar o tempo e o investimento necessário em cada área. A maioria das empresas, ainda não sabe o papel da Gestão de Pessoas, ainda a utiliza de forma operacional, onde o líder possui pouco contato com o negócio.

A união faz com que tanto a área financeira quanto a de pessoas adotassem uma conduta mais madura e colaborativa, os profissionais nesse modelo, ficam mais integrados em outros aspectos e conseguem entender que não basta simplesmente ter o menor custo. É uma nova tendência e creio que mudará muito a cultura de cada empresa, influenciando profissionais a aprender a trabalhar sem hierarquias rígidas e a compartilhar mais as informações.

 Uma das características mais marcantes desse “Triangulo de Ouro” é que a tomada de decisões e os objetivos são mais bem pensados e levando em consideração à empresa como um todo. Mas se nem toda empresa possui um gestor com disposição para investir no líder de Gestão de Pessoas, mesmo sendo o passo que todos deveriam dar.